EDUCAÇÃO

PALESTRA 1º ENCONTRO DE EDUCADORES - LOCAL: COLEGIO DANTE ALIGHIERI - SP

DA QUEIXA A CRIATIVIDADE

Encontro de educadores realizado no Colégio Dante Alighieri de 05 e 06 maio de 2015.

Como se precisa de algo mais do que o treinamento pessoal para que o mundo interior do educador, seus valores, sua consciência, sua compreensão é traduzido em ação e começar a transformar o mundo externo.

Esse “algo” tem a ver com a compreensão de que não é necessário esperar por uma revolução educacional para executar determinadas iniciativas próprias. E este encontro é  um estímulo anteriormente já comprovado para a sua realização.

Resultado vivenciado pelos educadores que fizeram esta experiencia em Madri.

A Equipe internacional acompanha os professores desde este primeiro encontro em Madri recolhendo tambem  muitas propostas que nos chega  por meio de questionários, fornecendo espaço para compartilhar e ouvir alguns depoimentos de educadores que, sem perder de vista o cumprimento  das suas obrigações curriculares, desenvolvendo as suas próprias iniciativas em sala de aula, que são enriquecedoras para si e para os seus alunos.

  • Conferência e as discussões com a equipe de Claudio Naranjo
  • Espaços para reflexão SOBRE AS QUEIXAS
  • Workshops

Espaço para reflexão e atuação sobre a criatividade.

SAT para educadores como um serviço aberto para a comunidade e como uma contribuição para a educação e o bem estar da sociedade.

O programa SAT facilita o desenvolvimento de uma consciência compreensiva que incorpora as dimensões pessoais, interpessoais e transpessoais da experiência humana e possibilita uma conexão progressiva com o Ser.

O Programa SAT para Educadores:

Dentro das escolas o Programa SAT pode ser oferecido em Três Fases, através de trabalho vivencial baseando-se na Psicologia dos Eneatipos, nos métodos de auto-observação, ensinamentos espirituais, meditação, diferentes enfoques psicoterapêuticos, processos de recuperação de relações parentais na infância, terapia Gestalt e trabalhos de corpo. O Programa utiliza recursos práticos, de modo que os participantes possam continuar com um processo de explorar, conhecer, aprender e integrar sua experiência e conhecimento e cada etapa.

É aconselhável a realização dos módulos com intervalos de seis meses, já que o efeito de sua ação refletiva continua produzindo transformações posteriores. Cada pessoa tem seu próprio tempo de ‘se dar conta’, respondendo a progressivos processos internos que são disparados durante o SAT.

  SAT 1 – duração: 7 dias:

Esse primeiro módulo coloca o participante em contato com o seu Eneatipo de maneira profunda e vivencial. Iniciam-se, também, os primeiros contatos com o desenvolvimento e cultivo da atenção e presença.

 Relações interpessoais como escola de crescimento, oficinas de teatro gestáltico e oficinas de trabalho de corpo. 

  SAT 2 – duração: 7 dias:

O processo terapêutico nessa etapa trará contato com os sub-tipos de personalidade e com suas virtudes correspondentes, assim como o aprofundamento do cultivo da atenção e da presença através do desenvolvimento da mente meditativa e processo terapêutico das figuras parentais (materna e paterna). Incluirá, ainda, A observação compartilhada de pensamentos, sistemas de crenças, idéias condicionadas e o trabalho com o corpo complementam o programa desse nível.

  SAT 3 – duração: 7 dias:

Com relação à Psicologia dos Eneatipos, serão abordados os aspectos cognitivos do caráter: idéias irracionais ou disfuncionais, mecanismos de defesa e ilusões. Nesse terceiro módulo, a meditação ganhará aprofundamento notável. O trabalho terapêutico propõe uma formação prática dos participantes com supervisão, tanto no plano técnico, como no campo das dificuldades interiores que se fazem presentes nas relações. Também é parte do processo um trabalho de regressão a vivências peri-natais. Pré-requisito: SAT 1 e 2.

Simpósio Educação 2007

“Mudar a Educação para mudar o mundo”

SÃO PAULO – UNIVERSIDADE SÃO MARCOS

Congressos, Palestras e Conferências

 II Simpósio Brasileiro Mudar a Educação para Mudar o Mundo

Local: Faculdades São Marcos-SP

 

Palestrantes:

Lucia Helena lodgi

Diretora de Políticas do Ensino Médio/SEB (Secretaria de Educação Básica) do Ministério da Educação (MEC).

Ângela Martins

Mestre em Educação na UNB. Coordenadora na Secretaria de Educação à Distância.

João Francisco Régis de Moraes

Professor-doutor do Centro Universitário Salesiano de São Paulo.

Leila Lopes de Medeiros

Diretora do Departamento de Produção e Capacitação na
Secretaria de Educação à Distância (MEC).

Lucia H. Lodi

Diretora de Políticas do Ensino Médio/SEB (Secretaria de Educação Básica) do Ministério da Educação (MEC).

Maria Cícera dos Santos de Albuquerque

Diretora da Fundepes-Maceio

Veronica Paternost

Membro da OSCIP SATEDUC para o Aprimoramento Humano.
Professora, supervisora de estágios e assistente de direção da Universidade São Marcos, campus Paulínia.

Fátima Caldas

Organizadora dos Simpósios para a Educação. Diretora do Instituto Sateduc.

Membro internacional da Escola SAT.

 

Alaor Passos

Doutor em Sociologia, conferencista e professor. Foi pioneiro no Brasil ao introduzir o estudo dos eneatipos no Centro Cultural de Pesquisa e Desenvolvimento Humano de BH desde meados da década de 80, quando se tornou representante de Claudio Naranjo no Brasil.

 

Cláudio Naranjo

Criador do programa SAT. Autor do projeto Sateducação. Professor e pesquisador em diferentes âmbitos do conhecimento humano. Presidente honorário do Instituto de Gestalt de Londres e membro do Clube de Roma.

SIMPÓSIO EDUCADORES 2005

SÃO PAULO – AUDITORIO DA TV CULTURA

Enfatizou-se a relação do Educador consigo mesmo, sua auto-estima e seu saber, sua relação com o sistema, o porque das dificuldades nas relações interpessoais e seus problemas em lidar com um público cada vez mais complexo e carente de valores humanos. E o que é mais importante, trazendo “o como” mudar.

 

Cada participante trouxe um tipo de material escolar que foi doado para creches municipais da Prefeitura de São Paulo e os inscritos receberam um Certificado de Participação.

 

Sobre o tema Autoritarismo na Educação: 

 Conclusões:

– Houve um desabafo concordante e sincero de todos os integrantes, concluindo que:

– Reproduzimos relações autoritárias.

– Partimos de uma premissa errada: “a escola é uma bagunça”, “a escola precisa de direção  que mande”.

 

–  Alternativa:

 

– Fazer pactos para participação.

– Coordenar conjuntamente.

– A dicotomia não está no público/privado mas, o grupo quis localizar onde está a escola num esforço para situar a questão.

– Trabalhar a tendência autoritária que possa existir em cada um.

 Sobre o tema Violência e Exploração:

 

 Conclusões:

– Realidade da violência dos alunos: armas,drogas e indisciplinas.

– Dificuldade dos alunos serem ouvidos pelos professores.

– Professor se compromete mais em dar informação e as questões de relação ficam em cargo da coordenação.

– Os alunos repetem na escola a violência que trazem de fora.

 

– Alternativa:

– Relevar e validar as iniciativas de algumas pessoas – ….. de melhor convivência.

– Se as pessoas se tornam violentas estão expressando algo que precisamos investigar o que  é.

– Preparar os educadores para conhecer melhor quais seus problemas com a própria violência  e como lidar.

– Instruções pessoais e familiares, palestras, etc.

 Sobre os temas Inércia e Burocracia:

– Inércia desresponsabiliza.

– Inércia aliena, desrespeita.

– A burocracia e a regulamentação da inércia.

 

–  Alternativa:

– Conhecimento de si com desenvolvimento da responsabilidade sobre si mesmo e da responsabilidade do pessoal no entorno.

– Diálogo na relação professor-aluno.

– Espaço para auto-questionamentos e reflexões.

 

Sobre o tema Mente Repressiva:

 Conclusões:

– Necessidade no ensino médio e fundamental, de 1 policial e 1 psicólogo.

– Cuidado com a imposição de idéias.

– Cuidado com atitudes como: “esculhambar o outro com sorriso na cara”.

– cuidado com a justiça que castiga, e não educa.

– São Paulo tem razão, mas não explicita.

– É preciso  aprender com eles, alunos.

– É muito grande a cobrança sobre os professores: pais, direção, porém não se investe em  prepará-los para isto.

– Trabalho com o conteúdo principalmente.

-Existência do estigma: “Professores não gostam de alunos inteligentes” (criam conflitos, questionam, professores despreparados.

 

–  Alternativa:

– Auto-conhecimento,

– Incluindo espiritual (não doutrinário).

Porque a educação não está contemplando o desenvolvimento  total do ser humano.

– A dificuldade está em formar o individuo feliz, e não está sozinho nisso.

– As outras instituições.

– A formação sem a informação.

– Péssimas condições de trabalho.

– Escola perpetuar valores de classe dominante.

– A inclusão de todos.

 

–  Alternativa

– Formação do educador como ser humano diferenciado

– ……….. arte, dança para professores e alunos para abrir o sentir

– Facilitar o aprendizado do auto-conhecer-se.

– Sair da repetição das informações e criar habilidades para lidar com relações.

– Escola SAT é início do caminho

– Mudar de dentro para fora

– Usar a autonomia que o professor tem em sala de aula, para viver os conflitos do cotidiano como oportunidades.

 Tema: Como se sentem os educadores no final do Simpósio:

– O sentimento geral é de entusiasmo e de caminhos abertos para as mudanças.

Tema: Como percebem a utilidade do I Simpósio:

– “O sentimento de ter chegado a um lugar novo, adquirindo novas ferramentas. Algo concreto e real para a transformação da educação”.

– “Um lugar, como um OÁSIS, para os professores que são tão largados pelo sistema. Agora, sentem-se ouvidos realmente e estão muito otimistas”.

– “Existem terapeutas para diferentes áreas e agora tem também para professores”.

  Sentem-se amparados em seus dilemas; “Agora tenho uma esperança. Me ajudou a redefinir minha profissão como pedagogo e professor de educação física”.

 

Tema: Críticas ao I Simpósio:

  Conclusões, alguns depoimentos e síntese de depoimentos:

– Não há críticas, apenas a observação do interesse demonstrado com a permanência até  o fim, de praticamente todos os participantes e a referência de que o Simpósio deveria ser realizado para um número maior de educadores.

– “Um marco”, ” Vivenciar que a realidade é esta, uma verdadeira transformação. Longe da  teoria. O SATeduc é a transformação que tanto queremos”.

 

– “Tudo na natureza tem um tempo, todos temos a sua hora, e essa pode ser a minha. Saio com satisfação, alimento da alma”.

– “Existe a resistência, porém vi que preciso aprender mais, sei muito pouco de mim.  Resgate do emocional e do espiritual; “Tenho vontade de fazer uma coisa que eu critiquei a  muito tempo, “religião”. Percebo que não dá para abandonar. Eu preciso das duas coisas; da ciência e da religião”.

 

  “Estava pronta a desistir. Venho me arrastando. É uma viagem que tenho que fazer: a  busca de mim mesma”.

 

    LOCAL-AUDITÓRIO DA TV CULTURA

 

PROGRAMA SATBRASIL

Fechar Menu
WhatsApp chat